Quando nos referimos a Nintendo algumas pessoas estão mal informadas ou mal intencionadas.

Super Mario Run foi anunciado no dia 7 de setembro de 2016, durante o evento de apresentação do iPhone 7. Naquele momento Shigeru Miyamoto, criador do personagem, subiu no palco e explicou as características do game, deixando claro que o consumidor pagaria pelo game apenas uma vez.

Em outras ocasiões Reggie Fils-Aime, presidente da Nintendo America, falou de forma cômica que o objetivo de Mario é correr, e não correr-pagar-correr mais um pouco. A empresa tem deixado claro que deseja ser honesta e quer apresentar o valor real do jogo, sem micro-transações, sem precisar pagar para ganhar.

A Nintendo parece ser contra vender pedaços de jogos, que precisem ser comprados diversas vezes para se tornar um game completo. Acontece que no mercado mobile é comum o consumidor ser obrigado a comprar vidas, comprar poderes, comprar fases, comprar personagens, enfim, comprar tudo o que já deveria estar incluso no game. As pessoas estão acostumadas com esse conceito e acabam reagindo com estranheza quando a Nintendo decide cobrar apenas uma vez por um jogo completo.

Não é difícil encontrar alguém reclamando do preço do Super Mario Run, no Facebook, no Twitter, em notícias sempre tem algum usuário citando a valor do jogo, que seria alto demais para mobile. Os próprios portais de notícias não ajudam nessa questão e publicam artigos dizendo que o jogo só valeria a pena se fosse de graça, o que é uma falta de respeito enorme com os desenvolvedores que trabalharam no game.

A maioria dos usuários não enxerga que o valor de 9,99 dólares é consideravelmente baixo se for comparado com diversos outros jogos que possuem micro-transações. Esse jogos só podem ser finalizados depois de gastar vários dólares em power-ups que facilitam é vida do jogador, mas castigam o seu bolso. Inclui-se nesse conceito games como Candy Crush, Clash Royale e até Pokemon Go.

Tendo em vista tudo isso, torna-se evidente que quando se refere a Nintendo algumas pessoas estão mal informadas ou mal intencionadas.